Tuesday, May 21, 2019

Chegando duplamente atrasado na festa... (RF e RV)

O que comecei a ver, desde o momento em que comecei a investir em RF e hoje de maneira muito mais clara no investimento em RV é o quanto sempre estaremos chegando atrasado (nem que seja um pouco) no investimento mais rentável ou mais promissor!



E não estou nem incluindo o Day-Trade, onde isso pode ser levemente melhorado com o uso do tape-reading (um dia faço um post sobre isso).

Isso também nos leva a questionar muito toda a corrupção envolvida no mundo dos investimentos: dinheiro é poder! Mas também, quem tem poder pode usar de seus meios para obter o dinheiro. E sinceramente tem momento que parece que não temos para onde correr, precisarímos realmente jogar uma moeda com 50% de chance para advinhar o próximo movimento do mercado se quiséssemos ter a chance de pegar o melhor ou o pior (se posicionando vendido) momento do mercado.

Obviamente o mais prudente é entrar em uma operação com uma chace maior, então observamos o movimento atual entrar em alguma tendência ou mesmo algum viés (através de notícias que nos são repassadas - acredite - com o maior delay possível) e pegarmos a última rabiola do movimento da pipa... 


Após as grandes instituições, pessoas com influência e dados privilegiados(ilegalmente) conseguimos nosso lucro
E ainda acreditamos que o que ganhamos (por fazer o dinheiro trabalhar para nós) é muito! 


Acredito que sempre chegaremos atrasados, e isso não importa, pois esse atraso, estando na sua maior parte no lucro, sempre será mais vantajoso que jogar a moeda e ver no que vai dar.

Acho que o ponto é nunca duvidar de que onde há muito dinheiro, há alguém tentando ganhar a maior parte dele de modo ilícito, seja controlando o movimento do mercado com um grande volume dispersado em diversas pontas ou de maneira mais criminosa, com informações privilegiadas (que é o ponto desse post). 

Acredito até que a CVM faça a parte dela, mas entendo como impossível rastrear tudo à tempo e até a descoberta, muitos gaiatos já levaram tombos que talvez possam vir a ser irreparáveis.

Será sempre um dilema:

Os fundamentos de uma empresa vão bem até que o dono, sócios e/ou parentes e amigos troquem suas partes na empresa por posição em dólares e o CEO faça uma delação bombástica. Na abertura é um desastre e em poucas horas a realização de lucro é visível e estampada na cara de quem se desesperou com tal movimento (isso sem contar day-traders com contas estouradas ao longo do caminho reforçando mais ainda o movimento bizarro).

A análise gráfica e a leitura do livro vêm em tendência, respeita suportes e resistências, abrem spread de compras ou vendas razoáveis, até que alguém decida que este mês precisa fazer um lucro maior e impulsiona uma reversão forçada no mercado, as sardinhas e alguns bons pescados se unem em prol daquele movimento e depois com um único movimento o mercado volta ao seu movimento anterior como se aquilo não tivesse acontecido.

Tudo refletindo a médio e longo prazo na RF: Selic, CDI, IPCA... tudo conforme a música dos que estão com a batuta na mão. E a gente olha, e a gente pega aquele pedaço do pedacinho de lucro.

Tudo bem, com paciência (diriam os Buy and Holders) o lucro é a tendência de empresas bem fundamentadas, mas infelizmente tomar conhecimento de certas coisas em uma idade um pouco mais avançada pode não ser muito vantajoso pra esse tipo de visão.

Não tem necessariamente um objetivo essa postagem, mas apenas um pouco da visão que tenho com o pouco tempo na bolsa de valores.

Apenas finalizando, por mais desanimador que algumas constatações possam parecer, isso não significa nada como "sair da bolsa" ou "desincentivar" quem esteja entrando ou decidindo-se entrar com aplicações nas empresas. A bolsa de um certo modo funciona bem, senão provavelmente já teria quebrado por si só (a bolsa, não as empresas nela - isso sempre estará passível de acontecer embora não tão provável).

Eu continuo firme buscando, através deste meio, minha IF.

Abraço!
K.T.

Tuesday, May 14, 2019

Como você se sente onde está e com o que anda fazendo no seu dia a dia?

Está vivendo a vida que quer ou esperando para vivê-la?
Questão que as vezes pode pegar no meio do caminho quem está em busca da Independência Financeira.

Fiquem livres para responder à questão e/ou comentar abaixo o que pensam sobre a pergunta em si.

Monday, May 6, 2019

A tal pesquisa da FGV - Trajetória de um aspirante a Day-Trader #07


Este post também foi baseado em uma resposta de um leitor, então apenas vou fazer um complemento e alguns screenshots dos pontos abordados.


Sobre o estudo da FGV até não estava querendo fazer um texto sobre por achar que já tem algumas boas discussões em sites e no Youtube.

Título do trabalho realizado - a pedido da CVM


Mas tenho minhas críticas particulares sobre o assunto e gostaria de expor de forma breve aqui.

Resumindo bem por aqui, lendo o paper da pesquisa se vê uma fraca aquisição de dados e um certo enviesamento na forma de escrita e nas conclusões finais.

    Vou me basear no resumo do trabalho uma vez que ele apresenta a proposta, alguns exemplos, a fonte de dados e os resultados obtidos (mas reli todo o paper e a única análise além,que acho relevante  - e aqui vou deixar de fora para não me estender - são algumas tabelas encontradas mais ao final do artigo. Vou por tópicos para cada item marcado em amarelo no resumo.

1 - Foco do artigo

    Tratou-se exclusivamente de traders de derivativos no mercado futuro. É possivelmente a modalidade mais "arriscada" dentro da B3 (exceto por alguns tipos de operações em opções), onde a alavancagem é extremamente alta (em média de 50x). Com pouca experiência já se percebe que o trade em ações à vista é bem menos arriscado, porém não atrai tanto público pois, pela baixa alavancagem, o dinheiro inicial  de garantias pode ser muito mais alto mesmo em ações de grande volatilidade.
    Apesar do artigo citar os papéis abordados, ao longo dele todo, a conclusão final não reforça essa diferença importantíssima entre o mercado a vista e o de futuros - a alavancagem, colocando todo tipo de Day-Trade no mesmo saco.
    Acredito que seria mais responsável que isso fosse apresentado, pois senão parece apenas que o objetivo era chamar a atenção com uma "manchete chocante".

2 - Período dos dados

    Os dados obtidos são de um período onde a informação ainda não era tão difundida e possivelmente os traders dessa época tiveram mais dificuldade para se informar, buscar aprendizado, encontrar cursos e até mesmo os custos operacionais eram mais caros (embora o artigo exclua os custos de corretagem), a corretagem alta acaba impactando de fato no financeiro disponível para se operar, o que pode levar a desdobramentos no modo de se operar - um bom exemplo é ser zerado pela corretora com uma quantidade maior de contratos em mão.. esse valor de corretagem pode chegar a R$ 500,00 (isso, hoje com custos mais baixos) dependendo da mão do infeliz no momento da desgraça.
    Desvirtuei um pouco... mas enfim, o período foi infeliz pois, como o próprio artigo diz, a partir de 2015 ou 2017 se não estou enganado, eles já não tem dados completos e consistentes, e é onde o boom de novos participantes começa como mostrado nos primeiros gráficos do artigo. Não invalida a pesquisa, mas analisa como fato atual um cenário razoavelmente diferentes, de custos mais altos e maior déficit de informação.

3 - "300 pregões" e "Tentando de fato viver de day-trade?

    Esse 'de fato' tiraram do nariz. Fazem toda a análise considerando que tentar por 300 pregões seria um significado para quem quer viver de fato do day-trade, sendo que logo nas primeiras paginas do artigo,falam sobre as corretoras informarem publicamente uma curva de aprendizagem de 1 ano.
    Temos então como 300 pregões: 1 ano (247 pregões em média) e quase 4 meses. Ou seja, presume-se de forma geral que após 1 ano de aprendizado, em 4 meses a pessoa já teria superado perdas e lucrado de forma consistente? Realmente concordo que isso não parece razoável.  Basta pesquisar por alguns day-traders 'solo' - independente de corretoras que o  relato deles é de ganhos acima de 3, 5, 7 ,8 12 anos.  Bem diferente da busca pelas corretoras. que fizeram para a pesquisa. Como eles mesmo informam que não há dados públicos consistentes de resultados - o relato da corretora acaba sendo quase tão válido quanto relatos isolados. (e talvez menos confiáveis pois "a corretora tem que vender seu peixe!").
    Outro ponto é que na pesquisa eles tiveram dados das profissões destas pessoas que entraram no day-trade, porém não há nenhuma comprovação das que deixaram suas ocupações para "de fato viver de day-trade" (isso ainda não levando a consideração da generalização do termo para mercado futuro e a vista já discutido no item 1). O que quero dizer é que: operar durante 1 ano e 4 meses não faz  da pessoa necessariamente um day-trader profissional. Apenas alguém persistente - que abre o ponto no qual eles não tem dados sobre as pessoas que realmente se engajaram e estudaram o assunto a finco e com seriedade (aqui incluo toda parte de estudo técnico, gerencial e psicológico) e as pessoas que jogaram na "roleta de cassino".

4 - Faixa de corte dos "bem-sucedidos" (segundo a última pg. do artigo, "renda significativa" )

    Por fim, acho que o ponto que mais vi discussão foi essa "média de R$300,00". Dizem no artigo que 13 pessoas obtiveram essa média diária. Bem, pegando os 300 pregões (mínimos de operação) - no artigo eles separam os persistentes neste grupo. Vamos fazer as contas...
Em 1 ano e 4 meses essas pessoas fizeram: 90 mil reais. ( uns 6 mil por mês) é um salário bom, mas sabemos que isso já é acima do normal. Agora, olhando a tabela 3 do artigo tempos que pelo menos 1 felizardo dessa turma (que puxou a média), ganhou R$2.938 médio em 250 pregões. Façamos as contas: R$734.500 em um ano.
Neste último exemplo temos obviamente um caso excepcional e que, como falei, puxa a média. Acredito que um balizador que podia ter sido utilizado seria o ponto dos 90% (na mesma tabela) onde pelo menos o saldo ficou positivo. Aí sim seria interessante dizer/concluir que :


"Apenas 10% dos day-traders de contratos de derivativos no mercado futuro que operaram antes do boom de conhecimento sobre o mercado de ações, que contam com alavancagem de até 50x, conseguiram ter uma média positiva".
destaque para o verbo no PASSADO - o modo apresentado no artigo dá a entender em alguns pontos que pretende ser uma representação do presente.

---

Apesar disso acredito sim que os resultados estejam por volta do apresentado pela extrema dificuldade do Day-trade e da persistência necessária.

Acredito que estes números melhorem com o tempo devido ao conhecimento sendo mais difundido atualmente, mas mesmo assim serão números baixos, pois o trade é uma das profissões consideradas de alta performance onde poucos alcançam ótimos resultados o perigo está aí: em querer ótimos resultados no curtíssimo prazo - perigo do qual já sofri as consequências e ainda sofro as vezes - as vezes é difícil ser 100% racional durante o trade.

Só para constar conheço pessoalmente apenas um trader que saiu dessas estatísticas há cerca de um ano. Ainda é curto o período para analisar, mas ele está há 3 anos neste mercado e junto com outros relatos de traders anônimos ou não, observamos que o período de 1 ano ainda é curto para análise mais séria e conclusiva.


Achei um pouco tendenciosa essa dedução na introdução do artigo - pelos motivos já citados acima.

Depois de apontar algumas coisas no artigo, considero que a pesquisa nessa área é importante justamente pelo próprio propósito da pesquisa de balizar a decisão de quem ainda não está o mercado ou de quem já está e algum tempo, mas achei que, seja pela falta de dados ou seja pelo viés do texto, este artigo ainda não traz pontos relevantes da realidade.

A análise acabou ficando mais longa que o planejado.

K.T.

Wednesday, May 1, 2019

Atualização do patrimônio Financeiro - Abr/2019 (R$ 72.235,11 +9,62%)

Meu segundo mês de fechamento por aqui.

Saldos:
Saldo em Contas Correntes: R$ 233,10
Saldo em Espécie: R$ 57,10
Saldo em Criptomoedas: R$ 1082,27
Saldo em Aplicações de Renda Fixa (TD, LCs e CDBs): R$ 48.570,54
Saldo em Ações: R$ 0,00
Saldo em "Giro" para Day Trade: R$ 24,58
Saldo em Previdência Privada: R$ 10.856,07
Saldo em FGTS: R$ 11.411,45

Resultado total: R$ 72.235,11 (+R$ 6337,71)

Principais: RF, FGTS, Previdência e Cryptos

Considerações: 

1 - Crescimento no patrimônio devido a grandes aportes em RF (acabei incluindo uma LC ofertada pela corretora - que acho até que me arrependi depois, mas está rendendo junto com a renda fixa até 2023, então é só aguardar o tempo passar).

2 - Criptos se mantiveram (crescimento do Bitcoin, mas missa massa de investimentos aqui está o em Iota que cresceu bem ao longo do mês, mas no final das contas perdeu spread para o bitcoin - estou reavaliando sair dela para ficar em definitivo no BTC.

3 - Recuperei R$ 2750,00 com a falha da corretora citada no mês passado. Não foi o valor total esperado, mas apresentaram boa justificativa e o valor ressarcido bateu com uma das falhas citadas (atraso no envio de operação). - Com esse valor em conta, para day trade, consegui um rendimento de aproximadamente 1750,00 e uma perda de 625,00 que, tirando os custos resultaram em 1000,00 de lucro (isso além de outras operações [de lucros e prejuízos] no mês). Mas parte deste lucro foi investido também em RF.

4 - Recebimento de adiantamento de 13º. - Valor enviado integralmente para  R.F.

5 - Encerramento compulsório na posição em ações devido ao erro da corretora no mês passado, tive minhas ações executadas e preferi, ao receber o dinheiro de volta, manter zerada a posição para pensar melhor em utilizar uma corretora separada da que eu uso para day-trade para tratar de ações .


No contexto geral, este mês de Abril foi de lucro líquido (pequeno) no day trade: R$ 671,23, muita aplicação em renda fixa e saída temporária do Buy and Hold que havia começado.

Como falei em um post anterior, tenho a intenção de manter uma posição mais agressiva (quanto a ações, talvez pensar em Small Caps ou algo do tipo) e trabalhar de forma mais direta com estatística no mercado financeiro (tendo tempo, envolver em estudos mais aprofundados sobre o assunto futuramente).

K.T.

Tuesday, April 30, 2019

A trajetória de um aspirante a Day Trader #05 - Resposta a um comentário...

Um leitor (Azrael) colocou um comentário bem pertinente e sincero no meu último post sobre  trade e achei interessante colocar a pergunta dele aqui junto a resposta dada um pouco mais complementada  e com alguma reflexão a mais dos motivos de estar no trade.


Minhas resposta a seguir:

Agradeço muito as palavras sinceras e realmente entendo o impacto gigantesco (negativo) que estou tendo com o trade. Inclusive a partir deste mês já estou retornando aos aportes e baixei  cerca de 75% o valor que estava dedicando ao trade (não chegou exatamente a se misturar com a reserva de emergência - como acredito que deu a entender). Gostaria de me dedicar 100% ao trade, mas fico com o pé atrás por contas dessas negativas mesmo. O que (pelo que você diz, é) aconteceu comigo, pode ter sido um "falso positivo".. explico: durante  minhas férias dediquei 110% ao trade e como consequência tive resultados positivos (o mês de fevereiro), foi só eu ter que começar a dividir o tempo com faculdade e trabalho novamente que as perdas voltaram. Como disse, pode ser um falso positivo, uma coincidência. Mas sinto no dia a dia a falta de estudo para operar e por isso estou diminuindo muito os aportes para tal.
Te dou razão no que disse de estar um tanto cego para isso e interpreto essa cegueira como um empenho total a isso... ao acreditar que pode dar certo até porque, como te disse, não vejo outra profissão que preencham os meus requisitos.

Talvez um pouco arrogante achar que devam preencher meus requisitos, mas, se nem isso eu puder escolher na minha vida, então não sei até onde possa valer a pena vivendo na roda por mais 30... 50 anos.. aí já não haverá saúde para desfrutar de algo.

De fato não estou enxergando um caminho melhor para este propósito.

Complementando...

Como disse em outro post, nas condições de liberdade e ganhos mais significativos com adicional de "não ter que lidar com pessoas" - hoje trabalho com isso diretamente, atendimento cara a cara com  o público e está sendo (há mais de 2 anos) minha segunda maior tentativa de lidar com essa dificuldade que sempre tive ao longo da vida (também já fui professor),  e, sinceramente, me sinto extremamente desconfortável desde a época de professor até agora (aí já são uns 4 anos acredito).. então aceito isso como simplesmente meu jeito de ser e lidar com as coisas. Bati de frente e não me senti bem com isso e, logo, para mim isso é um fator determinante quanto ao bem estar no trabalho. em todos meus trabalhos a tarefa em si não era um problema, mas o problema sempre vinha no lidar com pessoas até que eu não aguentasse e viesse a pedir conta (o que ocorreu em todos eles),

Então essa condição de um trabalho mais solitário, para mim parece ser importante. E somado a isso, uma possibilidade de ganho (mesmo com risco alto) que possa fazer com que eu mude de condição financeira de forma mais acelerada, me pareceram encaixar com o trade de uma forma que eu não tinha visto ainda.

O único outro trabalho que cheguei a pensar em fazer nesse sentido seria o de vendas online. Mas aí, novamente, temos clientes e fornecedores, uma dependência com alto risco jurídico,inclusive, que não estou disposto a me expor.

Se vocês, leitores, souberem de outras atividades que gerem renda e tenha essas características, certamente posso analisar como alternativa ao trade pois provavelmente terão risco menor e, o único problema do trade, à estas minhas condições e visões particulares, é o alto risco.

Um tipo de post um pouco diferente, mas realmente achei que a pergunta do leitor me fez tomar algumas outras reflexões mais a frente do que eu vinha pensando, e realmente questionando a questão de continuar ou não no trade.

Thursday, April 25, 2019

Como declarar IR no Day-Trade de Futuros (índice, dólar, mini índice, mini dólar)

Fiquei apreensivo e até enrolei de receio em errar no lançamento dos rendimentos e perdas no day trade na declaração de imposto de renda.

Vou especificar aqui a declaração para quem aplica em derivativos (futuros de Dólar, Índice e DI). e mostrar o que eu descobri assim que comecei a fazer: que não é nenhum bicho de sete cabeças! Muito pelo contrário. é mais simples que declarar  bens móveis, imóveis e mais simples até que declarar saldos de contas bancárias.

Apenas tenham em mente que só vou explicar dos futuros especificados acima, até porque também são os que estão mais populares hoje em dia e provavelmente muitas pessoas devem estar pensando em como fazer esta declaração.

(nos exemplos abaixo vou usar os meus próprios arquivos e dados, exceto com a zeragem de alguns valores na declaração que foram corrigidos posteriormente)


Documentos necessários:

A - Sua planilha diária/mensal de ganhos e perdas líquidas: se você não tem uma, isso é grave, mas é simples de fazer). Você deve somar todos os valores de ganhos e perdas diárias que constam geralmente no último campo da nota de corretagem do dia (as corretoras geralmente disponibilizam lotes mensais dessas notas - você pode baixar um mês inteiro de notas). Aí você abre uma a uma e faz uma planilha somando todas, separando por mês esse resultado parcial(mensal).

Perdas Mensais ='(


B - Relatório auxiliar de IR retido na fonte: sabe aquele 1% dedo duro que você pagou todos os dias que ganhou? Geralmente a corretora terá esse relatório que separa todos os ganhos que você teve e o valor que incidiu e foi debitado de seu resultado final (1% disso). Ela já vem separadinha mês a mês.

Esses números seriam maravilhosos.. sem os anteriores =O - e outubro então: *-*



C - DARF: Se você teve saldo final positivo em algum mês, em relação ao total acumulado nos  meses anteriores ( o que não foi o meu caso e, segundo pesquisa, é o caso de mais de 90% das pessoas neste mundo do trade), deve ter pagado DARFs. Tenha elas em mãos também.

Nunca tinha ficado triste por não pagar imposto ='(

Abaixo mostro como chegar na tela da declaração onde você colocará os valores necessários.

>> Clique para ampliar a imagem <<


1 - Entre, no menu lateral-esquerdo, na opção RENDA VARIÁVEL e em seguida Operações Comuns / Day-Trade

2 - Selecione o mês que irá declarar

3 - Vá até a aba "Mercados Futuros" e na coluna Day Trade coloque o valor (positivo ou negativo) do resultado que obteve observado na sua planilha (item A acima).

- Coloque, no campo IR fonte de Day-Trade no mês, o valor do relatório auxiliar relativo ao mês em questão (item B acima).

5 - Se houver, coloque o valor pago via DARF (item C acima) no item Imposto pago da declaração.

Feito isso, volte para a aba de seleção de meses e selecione o próximo mês no qual você fez operações. até dezembro. 

E pronto. Pelo menos este item está resolvido em sua declaração. 

Como disse, estava com receio de fazer e, "na hora do vamos ver" não levei de 3 a 5 minutos para fazer (já com os documentos na mão).

A ideia aqui foi ser sucinto - sem detalhes. Estes detalhes você encontrará de sobra no youtube. Apenas tentei fazer algo mais passo a passo e direto aqui, para simplificar o processo. Não sou especialista no assunto. Se alguém observar algum erro informe através dos comentários e dentro do possível vou corrigir. Mas recomendo que os leitores também deem uma olhada nos comentários também.

Espero ter ajudado pelo menos em algum dos itens ou de fato na execução em si.

Abraços.

K.T.