Saturday, June 29, 2019

Atualização do Patrimônio Financeiro - Jun/2019 (R$ 78.809,83 +4,53%)


Mês complicado no Day trade, mas ainda de lucro!
RF em preparação para o Day-Trade Full-Time!

Saldos:
Saldo em Contas Correntes: R$ 998,82
Saldo em Espécie: R$ 44,15
Saldo em Criptomoedas: R$ 1.662,63
Saldo em Aplicações de Renda Fixa (TD, LCs e CDBs): R$ 50.723,82
Saldo em Ações: R$ 0,00
Saldo em "Giro" para Day Trade: R$ 1.509,48
Saldo em Previdência Privada: R$ 11.796,53
Saldo em FGTS: R$ 12.074,40

Resultado total: R$ 78.809,83 (+R$ 3412,12)



Considerações: 

1 -   Criptomoedas: Um pouco de arrependimento por não ter feito a transferência temporária que pensei em fazer de IOTA para Bitcoin. Como todos sabem o Bitcoin teve uma evolução monstruosa e o que houve é que o mercado fez o que eu deixei de fazer, tirar de IOTA para colocar em bitcoin. Acredito muito na tecnologia da IOTA, mas este movimento seria apenas para realizar um pouco de lucro e depois recomprar a IOTA mais barata.  Pelo menos a leve alta do Ethereum compensou um pouco o arrependimento de não ter movimento das criptos (além de que o custo de movimentação da Exchange está razoavelmente alto também).

2 -   Previdência Privada: Um salto no rendimento. O aporte foi o mesmo, mas a administração caprichou no rendimento este mês o que fez subir o valor em mais de 5%  - mas foi também obviamente devido ao otimismo na Bovespa.

3 -   Day-Trade: Um mês meio "sem graça" para minha estratégia. Acabei tendo um alto rendimento nos primeiros dias do mês, mas fui devolvendo muito ao longo do mesmo. Ao observar isto, coloquei a mão no freio do risco para evitar um mês negativo, e escolhendo muito mais as entradas ainda consegui um rebote positivo na última semana. Foi um resultado positivo, mas eu chamaria de "O mês do  0x0", uma vez que o saldo final daria apenas para pagar os custos de plataforma, internet, energia elétrica, e um cachorro-quente de almoço. (devo detalhar em post próprio as operações de Junho).

4 -   Renda Fixa (aportes): Como citei num post anterior, estou em vias de passar apenas ao Day-Trade e com isso estou reforçando meu "colchão financeiro". Segurei as pontas nos gastos e consegui fazer bons aportes superando pela primeira vez a marca de 50k líquidos em investimentos. Tendo a reserva de emergência em Tesouro Selic já completamente restabelecida, e alguns CDBs  > 125% para prazos médios bem alocados.


Este mês sem surpresas de carros batidos, ou custos não previstos, mas continuo com a briga de não conseguir me apoiar em um orçamento. Sei, mais ou menos, dos meus gastos e sempre gasto por volta de 30% a 40% das minhas entradas, então está sempre sob controle. Mas as vezes me percebo em gastos supérfluos que ainda poderiam ser minados caso tivesse uma observação meticulosa que o orçamento traz.

O único orçamento que tem sido eficiente é o da minha "Empresa Day-Trade", mas ainda são custos simples e fixos, uma vez que emolumentos e corretagens (variável) já entram debitados no valor líquido.

Novamente vou me fazer a promessa de reiniciar um orçamento pessoal e anotação de gastos neste início de Julho. Me desejem sorte.

K.T.

Wednesday, June 19, 2019

Qual o problema do meu trabalho atual? "Desabafo"

Essa postagem vai ter um tom bem mais pessoal do que já tem as outras: acho que ficará mais como um desabafo, mas fiquem à vontade para comentar. Se acharem grande e quiserem pular o relato, nos vemos no próximo post! =)


Enfim, não lembro se já disse aqui, mas tenho o tão sonhado emprego no setor público, o trabalho que faço atualmente (da maneira que eu faço - infelizmente sem vontade alguma) não é intelectualmente difícil embora exija um pouco em certos casos.

Faço o melhor que posso para o público atendido - modéstia a parte, com muita qualidade e eficiência, mas os patrões já não se agradam deste meu modo de atendimento pois me exigem vender produtos junto ao atendimento que eu sei que não vão ajudar os clientes (isso se não prejudicá-los) e,  obviamente, isso não é lucrativo a curto prazo (metas, metas e somente metas).

Já tentei de algumas maneiras fazer estas vendas, mas me sinto mal fazendo - além de não gostar da abordagem de venda em si: acredito que as pessoas devem procurar e decidir o que querem. Se alguém me procura para saber sobre um produto, explico tudo o necessário e deixo na mão da pessoa a decisão de comprar ou não. Não empurro nada para ele como vejo colegas fazendo, odeio que fazem isso comigo e acho que odeio mais ainda ver esses colegas fazendo vendas que considero 'abusivas', no sentido de estar tirando dinheiro de uma pessoa da qual temos conhecimento que ela mal consegue colocar comida em casa, quanto mais arcar com algo que só vai tirar dinheiro dela e não lhe trazer nenhum benefício adicional, presente ou futuro.

Esses dias também achei um absurdo a empresa pedir para que vendêssemos um produto que, há poucas semanas só causou problemas e devoluções por parte dos clientes, além de ter gerado muita insatisfação. Me coloquei ativamente contra a venda do mesmo uma vez que não tinha qualidade e também colocava a imagem da empresa em maior risco - mas a resposta foi basicamente: isso não importa, a ordem de cima é pra vender e ponto! Tentei conversar com setores superiores, mas até então (quase 2 meses) fui apenas empurrado para outro setor que não respondeu mais a demanda e eu simplesmente desisti.

Daí me indago a trabalhar para eu mesmo, ou quem sabe encontrar uma empresa que aplique a ética de maneira sincera e não apenas em documentos das quais temos que concordar, mas que os grandes players da empresa se envolvem em escândalos e corrupção e os mais baixos não se importam de verdade em ajudar o cliente.

Entendo que a empresa paga meu salário - mas a mesmo tempo não estou deixando de fazer o trabalho de atendimento ao cliente: tirando dúvidas, ajudando a contratar alguns produtos, auxiliando com algumas tarefas básicas para as pessoas desinformatizadas sobretudo - e por isso ainda acho justo receber o salário que recebo, mas me incomoda estar em um lugar com valores declarados muito semelhantes aos meus, mas na prática, indo totalmente na contramão

No meu ambiente de trabalho há umas 30 pessoas e posso dizer que muitos deles se preocupam em ter uma postura ética (embora as pessoas no topo da cadeia, não), mas vejo eles "vendendo" sua ética para não ter problemas no ambiente de trabalho ou mesmo porque necessitam absurdamente do trabalho para dar conta de pagar pelos próprios produtos que vendemos onde se afundaram e levam clientes a se afundar: no fundo eles sabem onde que isso tudo leva... mas parece que levou a um ciclo de aceitação do qual não tenho conseguido (e acho que nem devo) participar! 


Como disse, foi mais um desabafo, inclusive porque tenho me sentido muito mal ultimamente no ambiente de trabalho (fisicamente mal como falei em um post anterior) e, sei lá.. aqui me sinto sendo mais aberto com alguém além da minha psicóloga.

Até o próximo post "normal".

K.T.

Friday, June 14, 2019

Transição de Empregado a Trader Full Time - A trajetória de um aspirante a Day Trader #07

Finalmente tem chegado o tempo de tomar essa decisão. Uma decisão extremamente difícil e importante. Infelizmente não vou poder colocar aqui tantos detalhes dessa transição pois seria facilmente reconhecido por algumas pessoas que já me conhecem na net e até se por ventura alguma colega de trabalho chegar a ler este post pode ficar óbvio (embora eu ache que juntando as peças das coisas que já postei aqui, já de para dar uma ideia à quem me conheça pessoalmente).

Enfim, conforme citei neste post vou  em por à este desafio e venho me planejando desde um pouco antes da publicação daquele post.

Mas não será "de uma vez", tenho planilhado o planejamento dessa transição financeira e também iniciando a planilhar a questão comportamental, decisória e de horários.

Farei um resumo, para não dar os detalhes citados acima:

QUANDO?

Algumas datas já estão definidas, e o detalhe que posso dar aqui é que devo estar full time no trade, na "pior" das hipóteses a partir da segunda quinzena de Outubro, na "melhor", já a partir da primeira quinzena de Julho e há alguns planejamentos entre essas datas dependendo de algumas variáveis que podem ocorrer neste período.

QUANTO?

O primeiro passo era restabelecer a reserva de emergência de 12 meses em 100% que eu tinha anteriormente.  Esta reserva será exclusivamente para me manter como "Pessoa Física" ao longo do ano subsequente ao início do trade. 
Para isso apertei os cintos para não mexer na reserva de Renda Fixa mesmo com pequeno acidente de carro que tive (essa precisei tirar da reserva uma pequena parte), e no mês que consertei meu carro consegui até aportar algum graças a uns extras que fiz (coisa pequena, mas que pelo menos garantiu aporte em meio a vacas magras).
Este início de mês consegui alcançar este objetivo - a reserva está toda em Tesouro Direto, e até uma pequena gordurinha por conta dos pequenos rendimentos.

Após, precisava estipular o valor que utilizaria como caixa para a "Pessoa Jurídica". Pelo menos 1 ano de caixa também para o Day-Trade não parar (levando em consideração as estratégias que podem permitir alguns poucos dias sem operações dependendo dos movimentos do mercado). Este valor está também alocado em Renda Fixa, mas algumas com travas de retirada em alguns períodos de meses.
Essas travas garantem que eu não "queime dinheiro" caso os trades comecem a entrar em uma espiral negativa. Fico travado de iniciar operações até determinado período onde posso corrigir erros operacionais e de estratégia que possam estar acontecendo, ou que sejam sazonais. Obviamente a idéia principal é nunca precisar mexer nestas reservas travadas para quando chegar a época de resgate eu reinvestir melhor elas. Venho montando este portfólio há pelo menos um ano, mas ainda não tinha exatamente este destino. Achei estratégico fazer este uso, de certo modo buscando rentabilizar melhor.

Obviamente, para os dois casos pretendo fazer um uso mais controlado destas reservas para que, de preferência continuem existindo mais tempo do que o previsto.

COMO?

O "como" neste caso seria o caminho... 
Minha estratégia leva em conta alguns benefícios que posso ter ficando mais tempo ou menos tempo no meu trabalho atual (sim, tenho vantagens financeiras para os dois casos). Mas enquanto isso, segue este mês de Junho como mais uma prova de fogo da melhor estratégia técnica e gerencial que encontrei até o momento (que segue consistente por quase 3 meses consecutivos - veremos até o final do mês!).

O mês de Julho deve ser o mais importante neste planejamento. Iniciará com o aumento de posição para teste da estratégia em valores maiores. (Como não serão tão significativamente maiores, não deve surtir efeito diferente uma vez que não chega a "aparecer" no book de ofertas). Continua pequeno, mas maior que o atual. Resistindo a este teste na primeira quinzena de Julho, é um ponto a mais para a saída em Julho, mas não definitivo. Já não dando certo é certamente um ponto para a saída em Outubro, pois implicará em imediata revisão de métodos e estratégia o que pode tomar algum tempo. - Sei que o período de avaliação dessa alteração é curtíssimo, mas precisarei ser preciso, pois é o tempo que tenho para a possibilidade de saída ainda neste mês e pessoalmente, é urgente essa transição.

Acabou ficando enorme este post, embora eu desejasse algo mais enxuto, mas servirá até como guia para eu mesmo, uma vez que até tive algumas ideias ao longo da escrita deste.

E SE "DER RUIM"?

Estou revisando pelo menos 2 vezes por semana as planilhas de planejamento, alterando algo ou adicionando detalhes não previstos. Inclusive quanto à possibilidade, por exemplo, de ainda em Junho a estratégia virar contra e ir pessimamente mal no início de Julho. São possibilidades que podem ocorrer e que tem consequências imediatas no planejamento, que, se de todo modo forem muito mal quanto ao previsto, ainda prevê minha continuidade no emprego atual à tempo de eu não ter pedido demissão ainda, podendo corrigir a data limite o mesmo a postergando. Lembrando que nesse meio tempo posso vir a precisar consumir a reserva de emergência, mas de todo modo o caixa "PJ" estará intacto.

Abraços,

 K.T.

Sunday, June 9, 2019

Resumos do Day-Trade (Maio/2019)

Maio iniciou no vermelho, mas daí pra frente as coisas foram bem!

Psicológico:

- Operações sob controle.
- Tranquilidade na operação (tanto para o Loss, quanto para o Gain) - sem variação entre depressão e euforia respectivamente . (algo que acontecia com frequência).

Técnica

- Simplificação da técnica utilizada: tempo de tela realmente é um diferencial absurdo na forma como tem mudado meu modo de operar.
- Indicadores como suporte para decisão.
-Níveis de preço em operações bem delimitados
-Estrutura bem definida para entradas, médios, stop gain e stop loss.

Gestão de Risco

- Início do mês totalmente incorreto (alavancagem desnecessária + persistência após recuperação de valores em dia difícil de operação)
-Tempo sem operações para análise dos erros cometidos e ajuste de risco
-Últimas duas semanas: operações muito boas! Losses cobertos de maneira consciente e apenas 1/10 dia de loss.
-Responsabilidade maior na seleção de operações: evitando operações com chances maiores de perda - mesmo que graficamente indicasse alguma possível entrada.

Gestão de capital

Por enquanto, resolvi deixar estes dois meses (maio e junho de 2019) sem fazer entradas práticas nas contas da "empresa trader", mas aproveitar esse tempo de reflexão pós perdas de patrimônio e de recuperação para repensar a estrutura e ver se o melhor é retomar a ideia anterior, ou fazer novas reformulações de como será gerido o capital para operações.



Mente-Técnica-Risco-Retorno
Maiores aprendizados: 

Dentre estas características posso dizer que pontos-chave foram que: cabeça que opera tranquila opera melhor e ter estruturas pré-definidas nas operações já delimitam por si só o tempo e o risco da operação.


Acontecimento do mês:


Tomei apenas um "Loss Cheio" (meu limite permitido por operação no dia) nestes últimos 10 pregões do mês e recuperei ele no mesmo dia. Embora tenha feito essa recuperação, não foi nada intencional, apenas prossegui operando na estratégia e ela aconteceu. Talvez tivesse ficado positivo no dia (recuperei, mas ainda fiquei no negativo), mas parei de operar ainda na parte da manhã devido a diversos compromissos e não olhei mais no gráfico procurando novas entradas, mas me senti vencedor de aceitar o negativo naquele dia e isso só fortaleceu a sequência de Gains nos dias seguintes.

Saturday, June 1, 2019

Atualização do patrimônio Financeiro -Mai/2019 (R$ 75.397,71 +4,19%)

Meu segundo mês de fechamento completo por aqui.

Saldos:
Saldo em Contas Correntes: R$ 1.542,73
Saldo em Espécie: R$ 36,20
Saldo em Criptomoedas: R$ 1.844,27
Saldo em Aplicações de Renda Fixa (TD, LCs e CDBs): R$ 46.947,66
Saldo em Ações: R$ 0,00
Saldo em "Giro" para Day Trade: R$ 1.928,04
Saldo em Previdência Privada: R$ 11.091,02
Saldo em FGTS: R$ 12.007,79

Resultado total: R$ 75.397,71 (+R$ 3162,60)


Considerações: 

1 - Criptomoedas puxaram bem o crescimento deste mês. A Iota onde tenho 72% de criptos quase dobrou de preço seguindo a tendência do Bitcoin, assim como o Ethereum (27% da carteira de  criptos) que teve um resultado semelhante. Os 1% restantes estão em Bitcoin e Bitcoin Cash.

2 - Uma parte expressiva do crescimento deste mês foi o Day-trade que participou em 34,5% do crescimento geral do patrimônio (R$ 1.092,00 de lucro líquido)

3 - A Revisão/Conserto foi do meu carro desta vez. Alguns problemas de vazamentos que eu estava postergando e a facada na troca dos pneus que já tinha tempo que poderia comprometer a segurança foi necessária. Ainda quero dar um tapa na funilaria (que está horrível), mas vou dar uma folga pro meu orçamento que já consertou dois carros (um da batida que tive e agora a revisão do meu).

Para o Day-trade o mês de maio foi ótimo: do capital disponibilizado para operações tive um lucro de 200% (aproximadamente para R$ 500 fiz R$ 1.000) e este mês as operações ocorreram de maneira tranquila: apesar de uma perda maior no começo do mês o restante foi de recuperação deste valor e da extrapolação da meta auto-sugerida.

Quanto ao Buy and Hold, ainda permaneço zerado, mas com alguma pretensão de retornar neste mês ou em Julho.



K.T.